The shipping battle beggins!

Quando os produtos deixam de ter diferenças signficativas capazes de se diferenciarem da concorrência, ou quando existe pouca “folga” para mudar ou inovar um dado produto ou serviço uma das apostas inteligentes está nos serviços pós-venda. A Amazon e a eBay são duas empresas que confirmam esta teoria.

Ainda não há muito a Amazon surpreendeu o mundo com a sua aposta na entrega de produtos recorrendo a drones, o “Amazon Prime Air”. Uma verdadeira estratégia “moon shot”:

 

Independentemente da exequibilidade do projecto, o certo é que a originalidade e o “breakthrough” conseguiu à empresa várias referências nos meios de comunicação de quase todo o mundo.

A resposta não se fez esperar muito da parte da empresa eBay que compete com o serviço de entrega “eBay Now”, o qual permite entrega local no máximo de uma hora (uma estratégia “bold innovation”). É certo que se trata de uma ideia mais simples, porém, é por essa razão mais fácil de implementar, logo mais realista.

A eficácia dos anúncios mobile

De acordo com um estudo recente da Prosper Mobile Insights, aproximadamente 3 em 4 utilizadores mobiles (74,0%) prestam atenção aos anúncios enquanto que navegam na Web através do telemóvel, de forma regular (35,3%) ou ocasional (38,7%). Porém, a atenção diminui aquando do download de apps ou música, durante as compras ou jogo jogos.

Para além disso, 59.5% dos entrevistados que usam smartphone ou tablets dizem que regularmente (26,9%) ou ocasionalmente (32,6%) prestam atenção aos anúncios que vêem enquanto visitam as redes sociais com os seus dispositivos.

Finalmente, os homens estão mais propensos a prestar atenção aos anúncios e consequentemente a serem influenciados por eles do que as mulheres. Não obstante, é o grupo das mulheres (51% em comparação com os 40,1% do grupo masculino) que se revela pouco interessado em pagar para aceder a sites social media sem anúncios.

Fonte: http://www.marketingprofs.com/charts/2012/8139/do-mobile-users-pay-attention-to-mobile-ads?goback=%2Egde_65139_member_124357045

Conversas com…Ogilvy

Recentemente tive a oportunidade de entrevistar Eurico Nobre, General Manager da Ogilvy One, sobre o estado do mercado do marketing digital e ainda sobre a 3ª edição do seminário Verge, a realizar já no dia 6 de Junho, em Lisboa.

Vale a pena ler a entrevista:

Eurico Nobre, General Manager da Ogilvy One

– Em que ponto está o mercado do marketing digital em Portugal? Já atingiu a maturidade ou está ainda longe do que se faz nos outros mercados?

O digital, num sentido abrangente, é hoje parte integrante da maioria dos planos e estratégias de marketing em Portugal. Esse é um importante sinal de maturidade. Contudo a abordagem, de uma forma genérica, ainda tende a ser muito táctica. São poucas as organizações que deram o passo no sentido de daí realmente extrair valor, seja por via da activação da marca, do serviço ao cliente, da co-criação ou outros. Até porque isso obrigaria nalguns casos a repensar a própria organização, não apenas o marketing. É esse o estágio em que estão mercados mais avançados, de que são exemplos Burberry, Uniqlo ou Best Buy. Além disso, vivemos num país muito orientado para a televisão, o que se justifica pelo relativamente baixo preço de acesso, em termos absolutos e comparativos com outras alternativas, mas também pressionado pelo enquadramento económico, o que motiva activações focadas sobretudo no curto prazo.

– O número de empresas a usarem as redes sociais como parte da sua estratégia de marketing cresceu muito em Portugal nos últimos anos. Quando se trata de apresentar resultados, qual a metodologia da Ogilvy?

Não existem métricas perfeitas e, menos ainda, universais. Importa por isso observar os objectivos a atingir: chegar a 100.000 likes significa rigorosamente nada se o pretendido for conseguir a marcação de 1.000 test drives.

Assim, os consultores social@Ogilvy normalmente analisam e combinam três indicadores: “reach and positioning”, que mede o alcance obtido; “preference”, que avalia o sentimento e tom das conversas geradas; e, finalmente, “action” ou as leads e vendas geradas.

– A Ogilvy organiza um dos seminários de marketing digital mais importantes a nível nacional, o Verge. O que podemos esperar desta edição quando comparada com as dos anos anteriores?

A edição deste é totalmente orientada para a acção. O tempo é de fazer e o que queremos, como se refere na apresentação do evento, é motivar quem vai assistir a passar da teoria às melhores práticas, nomeadamente observando alguns dos melhores exemplos. As edições anteriores, de 2008 e 2010, tiveram um objectivo de evangelizar para os desafios e importâncias da Era Digital.

– Quais são os oradores confirmados e qual o critério de escolha?

O Verge este ano vai dedicar-se a quatro temas principais: organização (ou como as empresas se devem repensar para tirar o máximo proveito da era digital), mobile (que mudou e está a mudar no mundo, importando responder aos novos hábitos dos consumidores tirando partido de conceitos como o SoPhoLoMo), brand entertainment (ou a criação de conteúdos enquanto território das marcas) e Social CRM (ou como usar a dimensão social enquanto ferramenta de vendas e o consumidor enquanto extensão da marca). Sempre numa perspectiva muito prática e uma abordagem muito pragmática. Os oradores confirmados são alguns dos maiores especialistas globais nas diferentes áreas: John Bell, Global Managing Director, Social @ Ogilvy; Pete BlackShaw, Global Head of Digital & Social Media, Nestlé; Stephen Yap, Group Director, TNS; Nuno Santos, Head of Mobile, Ogilvy Paris; Jeremy Brook, Global Digital Strategy and Marketing, Heineken; Jiri Voves, Partner, Socialbakers; Rob Davies, Executive Director – Advanced Video Practice, OgilvyOne New York e Christophe Muller , Director, Partnerships SEEMEA, You Tube.

Ofertas pelo Facebook

Atenção empresas, o Facebook lançou um novo serviço que permite a divulgação de ofertas (entenda-se, cupões de desconto) através das vossas páginas Facebook de forma simples e grátis. Infelizmente, este serviço só está disponível em determinados países, excluindo, por exemplo, Portugal.

Para aceder à promoção, o(a) interessado(a) terá que:

  1. Clicar em “Obter oferta” para ver os detalhes e ler os termos e condições;
  2. Clicar em “Reclamar oferta” para que a mesma seja enviada para o respectivo endereço de e-mail;
  3. Levar o e-mail da oferta (ou o smartphone com a informação necessária) para poder usufruir do desconto no local indicado.

Dêem uma espreitadela neste vídeo que exemplifica o processo:

Para mais informações, visitem o site: http://www.facebook.com/help/offers

A criatividade e o m-marketing

Semana passada estive na Technology For Marketing & Advertising 2012 e gostava de partilhar convosco um vídeo que vi por lá:

Para comemorar a Fashion’s Night Out, NET-A-PORTER criou uma loja pop-up onde os visitantes podem fazer compras e ganhar prémios ao usar um aplicativo criado especialmente para o Smartphone ou iPad2.

Está claro que o sucesso de uma iniciativa deste tipo, embora interactiva e original, depende do grau de implementação das novas tecnologias na população-alvo. Nos EUA, por exemplo, quase metade dos adultos americanos possuem smartphones. Em Portugal, o total de utilizadores ronda os 358 mil utilizadores, segundo o Barómetro de Telecomunicações da Marktest. Ainda assim, os números representam o dobro da taxa de penetração destes aparelhos relativamente ao último ano.

Pode ser que esteja para breve uma acção daquele tipo nas ruas portuguesas! 🙂