Doidos por Lady Gaga

Gostando ou não das suas músicas, a Lady Gaga é indiscutivelmente um fenómeno popular que atrai a atenção não só dos seguidores da música ou da cultura popular, mas inclusivamente da academia! Sim, leu bem. A academia está oficialmente rendida aos encantos desta senhora que ainda não há muito tempo entrou nos MTV Video Music Awards com um vestido de… carne, sendo a prova deste fascínio o conjunto de teses cientificas que tem sido desenvolvido um pouco por todo o mundo.

Do ponto de vista do branding, Gaga é como ela própria reconhece “the master of the art of fame” (a mestre da arte da fama) e algumas lições fundamentais podem ser retiradas na forma como tem construído a sua marca, que, sejamos sinceros, mais deve à sua habilidade estratégica e de auto-promoção do que aos seus dotes musicais:

1. O poder de ser diferente. A sua capacidade de se apresentar e de surpreender o público, de forma teatral, tem conseguido obter a atenção e a cobertura mediática numa escala mundial, distinguindo-a do resto da concorrência. Procure enfatizar o que o distingue dos outros (na gíria publicitária, estamos perante o chamado “unique selling proposition”) e sobretudo pense/seja diferente, especialmente quando há muita concorrência.

2. Quando chegar ao topo, não perca a humildade. Mesmo depois de se tornar num ícone da música pop, Gaga não deixa de agradecer (constantemente) aos seus fãs. Isto porque ela sabe que da mesma forma que o público a pôs no topo, também a pode pôr nos últimos lugares. Não tome por garantido os seus clientes/consumidores. Ao invés, faça-os ver que lhes está grato e sempre que possível, compense-os.

3. Se não os pode vencer, junte-se a eles! Enquanto que alguns artistas proíbem ou ficam chateados de ver as suas músicas a serem reproduzidas por terceiros no Youtube, Lady Gaga decide chamar os artistas-anónimos para participar nos seus concertos! (http://abclocal.go.com/kabc/story?section=news/entertainment&id=7995818)

4. “Marketing Is a Lifestyle”. Lady Gaga não se lembra dos seus seguidores apenas quando está a lançar um disco. Todos os dias trabalha para manter uma relação próxima com aqueles e para manter a sua marca no buzz. Eis uma regra preciosa no marketing político!

5. Toda a gente gosta de um pouco de show: Gaga sabe que o seu público vai aos seus concertos não só pelas músicas, mas também pelo espectáculo que sabe que irá experienciar e comentar (esta regra a família real inglesa conhece-a bem!). Já não basta investir no seu produto ou serviço – aposte também nos serviços pós-venda.

6. Passa palavra: Gaga promove e encoraja a partilha dos seus concertos, contribuindo para a ocorrência do passa palavra. É caso para dizer que, presentemente, aquilo que não se comunica, não existe.

7. Detalhes e mais detalhes. Que não haja dúvidas que tudo o que ela faz, diz ou veste é pensado, não deixando nada do que está relacionado com o seu produto e marca ao acaso. Certifique-se de que todos os seus canais de comunicação estão a trabalhar juntos para promover uma mesma identidade de marca e uma mesma mensagem. Para além disso, tenha em conta que os diferentes departamentos de uma organização devem trabalhar com o mesmo objectivo final e não como concorrentes ou entidades separadas. Já diziam os gestaltistas, “o todo é superior à soma das partes”!

8. Não peça apenas, dê também algo ao seu público e à sociedade. Numa expressão, responsabilidade social. Em Novembro do ano que findou a cantora afiliou-se à prestigiada universidade de Harvard, ao lançar com aquela uma fundação sem fins-lucrativos designada “Born This Way” (também o nome de uma das suas canções), que tem como fim prestar tutelar adolescentes e combater o bullying. Mais uma vez, não é por acaso que a “master of the art of fame” escolheu apoiar uma instituição que tem como target um público jovem…

Por último, deixo-vos um vídeo com a entrevista que a cantora concedeu ao conhecido programa 60 minutos de onde se poderão retirar mais alguns ensinamentos:

Anúncios